Complexo da Estação Ferroviária de Jundiaí (SPR): avaliação da proteção e potencial de uso turístico de um patrimônio ferroviário

Projetos de pesquisa MF

Autora: Milena Meira da Silva (CV Lattes)

Orientador: Prof. Dr. Eduardo Romero de Oliveira (CV Lattes)

Vigência: 01 de outubro de 2014 – 30 de setembro de 2015

Agência Financiadora: FAPESP (processo n. 2014/16572-6)

Armazém

Armazém

Resultados parciais referente a bolsa de Iniciação Cientifica, sob a orientação do Professor Dr. Eduardo Romero de Oliveira

Tendo como tema principal o estudo da viabilidade de uso turístico do Complexo da Estação Ferroviária no município de Jundiaí-SP, o projeto tem por objetivo geral, analisar o Complexo tombado da Estação Ferroviária de Jundiaí, com enfoque em sua preservação patrimonial, a fim de identificar o potencial como recurso turístico e demais usos do bem protegido.

De maneira específica, foi realizado um estudo do processo de tombamento do Complexo da Estação Ferroviária de Jundiaí, decretado sob principal justificativa de preocupação quanto as modificações que possam ocorrer na estação a partir do plano de modernização, adequação e acessibilidade, promovidos pela atual administradora, CPTM. Deste modo, mantendo a estação sujeita a descaracterização de sua arquitetura, tão representativa na história ferroviária paulista.

Buscamos identificar as ações de preservação promovidas pelos órgãos municipais, no qual, através de entrevistas realizadas com representantes de órgãos públicos responsáveis pela proteção a nível municipal, notou-se a falta de autonomia em consequência dos outros usos atribuídos a esses bens industriais na atualidade, o que impede a ação da prefeitura em possíveis projetos de intervenção que gerassem subsídios direcionadas à conservação do Complexo tombado. Pretendeu-se também, levantar as ações de preservação promovidas pelo atual responsável pela estação (do qual será realizada na segunda etapa da pesquisa, visto que não houve retorno imediato da Companhia).

Para o fim desta primeira etapa da pesquisa, procuramos identificar os usos e estado atual de conservação do bem protegido, em que foi observado que aos arredores da Estação ainda restam remanescentes da antiga linha da SPR, como os armazéns, a casa de sinalização, e todos os equipamentos que auxiliavam no funcionamento da linha. Em visita a campo ficou evidente que uma parcela desses imóveis encontram-se em estado de decadência. No caso da vila ferroviária, a maioria dos moradores consultados não tinha noção da importância do imóvel em que estavam inseridos para a constituição da memória jundiaiense. A importância de saber desse feito evitaria que parte desses moradores fizessem intervenções em suas moradias, desprezando a singularidade e autenticidade do imóvel.

Esta pesquisa é realizada a partir de um levantamento bibliográfico referente aos temas bases tratados na pesquisa, e aprofundamento no processo de tombamento e demais informações quanto à proteção existente no Complexo da Estação de Jundiaí. Em segunda etapa da pesquisa, realizaremos identificação dos serviços de recepção ao turista nestes espaços ferroviários, além da avaliação do uso turístico do bem, através de fichas cujo modelo foi previamente estabelecido pela equipe do Projeto Memória Ferroviária.

I Congresso Internacional Patrimônios - Ourinhos (SP)

I Congresso Internacional Patrimônios – Ourinhos (SP)

Fale com a autora

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s