Novo mestre na equipe Memória Ferroviária

No dia 12 de fevereiro de 2016 nosso colega Ewerton Henrique de Moraes, membro da equipe Memória Ferroviária, defendeu com sucesso a tese de mestrado intitulada Os bens ferroviários nos tombamentos do Estado de São Paulo (1969 – 1984), na Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação da UNESP em Bauru/SP. O trabalho foi desenvolvido com apoio financeiro da FAPESP (ref. n. 14/04139-6) e sob orientação do professor Eduardo Romero de Oliveira dentro do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da FAAC/UNESP. A Comissão Avaliadora, que contribuiu com interessantes colocações, esteve composta por alguns dos maiores especialista no assunto no Brasil, como o próprio Prof. Dr. Eduardo Romero de Oliveira (FAAC/UNESP), o Prof. Dr. Nilson Ghirardello (FAAC/UNESP) e a Profª. Drª Beatriz Mugayar Kühl (USP).

defesa ewerton

A monografia completa está em processo administrativo e em breve estará disponível

 

Resumo:

Os tombamentos de bens ferroviários no estado de São Paulo tiveram início com o reconhecimento da Estação Ferroviária de Bananal ao final da década de 1960. Com ações anteriores as proteções federais, o Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (CONDEPHAAT) reconheceu entre 1968 e 1998, recorte deste estudo, um total de 17 (dezessete) remanescentes ferroviários de diferentes companhias. O elevado número de estações reconhecidas é apontado pela bibliografia específica como uma tendência nostálgica e tratamento unitário de partes, situação presente também nas avaliações técnicas. Considerando isto, propomos o estudo das práticas de tombamento do órgão estadual para o patrimônio ferroviário. Com consulta a fontes documentais, especificamente os processos de tombamento, o objetivo é compreender as dinâmicas de valoração e conflitos presentes no processo de tombamento estadual da Estrada de Ferro Perus Pirapora (EFPP). Diferente das proteções anteriores, o objeto de estudo não apresentava aspectos relevantes para a arquitetura, sendo o primeiro tombamento de conjunto ferroviário pelo CONDEPHAAT em São Paulo. Desta forma, o trabalho está baseado na hipótese de que este processo de tombamento tenha auxiliado na ampliação dos elementos considerados pelo órgão de defesa para o estudo e proteção deste tipo de bem.

 

Parabéns a nosso colega Ewerton pelo excelente trabalho desenvolvido.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s