Resumo do Seminário de Pesquisa e II Jornada de Jovens Pesquisadores Memória Ferroviária

Nos dias 22 e 23 de março foram realizados na UNESP de Bauru-SP o Seminário de Pesquisa e II Jornada de Jovens Pesquisadores Memória Ferroviária. O evento, idealizado pelo projeto Memória Ferroviária, visou promover o compartilhamento de trabalhos e discussões relacionadas a temática ferroviária. No primeiro dia, houve inicialmente a discussão interna entre o grupo de pesquisa, do qual o coordenador do pMF Eduardo Romero de Oliveira, em conjunto com os pesquisadores colaboradores, discutiram diferentes metodologias trabalhadas no projeto sob distintas vertentes, assim como os avanços de seus aportes teóricos e problemáticas de estudo.

29468141_584768055220392_7654988566065315840_n

Durante o período vespertino houve a apresentação de trabalhos previstos no Seminário de Pesquisas. A Professora Doutora Maria Cristina Schicchi da PUC de Campinas realizou uma conferência relacionada aos principais projetos desenvolvidos por seu grupo de pesquisa. De maneira geral, a linha de pesquisa coordenada por Schicchi se relaciona a abordagem territorial de bens culturais no meio urbano, o que de acordo com a professora, permite uma percepção mais ampla do impacto desses bens na paisagem.

Após a fala de Schicchi, foi aberta a mesa moderada pelo Professor Doutor Samir Hernandes Gomes, intitulada “Novos Instrumentos e Enfoques”. Em primeiro momento Ana Paula Gonçalves apresentou os resultados de sua experiência de intercâmbio em Sevilha, na Espanha, do qual a graduanda em Turismo entrou em contato com tecnologia de georreferenciamento e medidas realizadas por órgãos de preservação ao patrimônio cultural espanhol, a fim de estudar e avaliar as paisagens culturais e seu potencial turístico.

Na mesma mesa de debates, o graduando em Pedagogia, Evandro Nogueira apresentou sua experiência na coleta de dados a partir de metodologia de Abordagem e Valorização do Patrimônio (AVP), voltada especificamente ao patrimônio industrial, do qual Nogueira explanou algumas possibilidades para a aplicação da metodologia AVP em espaços ferroviários.

Como encerramento do primeiro dia de Seminário de Pesquisa e II JJP, Ewerton Moraes, turismólogo doutorando na UFABC e Luis Botaro, historiador doutorando na UNESP de Assis-SP, comentaram acerca do Conjunto ferroviário de Assis-SP, sobre questões relacionadas a sua preservação e problemas e desafios gerais para sua identificação, conservação e valoração.

1

Encerramento das apresentações durante o 1º dia da II Jornada de Jovens Pesquisadores Memória Ferroviária

O segundo dia de Seminário de Pesquisa e II Jornada de Jovens Pesquisadores Memória Ferroviária foi iniciado com conferência online do Doutor em História Econômica, o espanhol Domingo Cuéllar Villar. Villar apresentou diversas fontes comumente utilizadas para investigações na temática da história econômica da ferrovia, e ao fim demonstrou alguns resultados relacionados a base de dados que tem construído em meio a essa temática.

A segunda mesa de debates prevista no Seminário de Pesquisa foi moderada pelo Professor Doutor Eduardo Romero de Oliveira. Intitulada “Estudos Locais, Análises Transversais”, coube a Jessica Latanzi, graduanda em Turismo, a primeira apresentação relaciona a um estudo de terminologia em cartas patrimoniais. Latanzi baseia seu levantamento a partir de um córpus paralelo inglês-português-espanhol, comumente utilizado nas pesquisas de natureza linguística.

Andreza Vellasco, graduanda em História, trouxe como contribuição os resultados parciais de sua iniciação científica, que se relaciona ao acervo bibliográfico do Museu da Companhia Paulista de Estradas de Ferro em Jundiaí-SP. Vellasco, para além dos resultados alcançados, explanou também acerca das principais dificuldades para o levantamento proposto, haja vista as mudanças de administração do espaço, as falhas no armazenamento das fontes, assim como as distintas origens desses documentos, questões bastante discutidas entre o público participante do evento.

Laís Ciampi, graduanda em Arquitetura, apresentou sua pesquisa relacionada a identificação de elementos funcionais numa Avaliação Pós-Ocupação (APO) aplicada aos edifícios ferroviários, do qual abordou a análise realizada nos remanescentes ferroviários nas cidades de Campinas e Valinhos. Finalizando a o Seminário de Pesquisa, Lucas Corrêa, doutorando em História, falou acerca do levantamento “História ferroviária e Pesquisa: a consolidação da temática nas pesquisas de Pós-graduação no Brasil”. Como o próprio título intui, Corrêa realizou um levantamento das dissertações e teses com temática ferroviária desenvolvidas no Brasil, das quais o resultado se encontra disponível no site oficial do pMF, na aba ‘Bibliografia’.

No período da tarde parte dos inscritos no evento realizaram a visita técnica ao conjunto de remanescentes ferroviários em Bauru. O tema da visita foi “Espaços Ferroviários em Bauru: caminhando entre passado e presente”. Dentre os espaços visitados destacam-se as estações ferroviárias da Cia. Paulista e da Noroeste do Brasil, além do Museu da Imagem e do Som de Bauru, e o Museu Ferroviário de Bauru. As discussões estiveram pautadas na relação histórica de formação da cidade ligada ao desenvolvimento ferroviário, curiosidades gerais sobre o sistema ferroviário, os novos usos, e gestão do espaço. Também houve a exploração e observação dos vagões existentes no local e dos artefatos expostos nos museus.

2

Participantes da II JJP durante a visita técnica ao conjunto de remanescentes ferroviários em Bauru-SP

3

Participantes da II JJP e equipe MF no Museu Ferroviário de Bauru

Concomitante a visita técnica, a equipe MF, direcionando ao encerramento do evento, realizava em sessão fechada um balanço dos resultados obtidos no decorrer da II JJP, e as possíveis diretrizes para a III JJP, a ser realizada em 2019. De maneira geral o evento foi muito promissor para a discussão relacionada a Memória Ferroviária, em que um ponto forte do evento foi a multisciplinaridade envolvida, assim como sua difusão possibilitada através transmissão online. Referente a isso, cabe enfatizar que aos que não puderam participar ou acompanhar a transmissão ao vivo da II JJP, iremos disponibilizar os links de acesso aos vídeos em breve em nossas mídias. Em relação a próxima edição da JJP, a novidade será a possibilidade de envio de trabalhos por todos os interessados que desenvolvem pesquisa científica relacionada a temática Memória Ferroviária.

Parte dos temas discutidos pelos pesquisadores no decorrer da II Jornada de Jovens Pesquisadores Memória Ferroviária se encontram reunidos no livro organizado pelo coordenador do pMF, Eduardo Romero de Oliveira, intitulado “Memória Ferroviária e Cultura do Trabalho”.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s