Visita técnica às oficinas de Valladolid e ao povoado ferroviário de Monfragüe (Espanha)

O professor Eduardo Romero de Oliveira e vários membros espanhóis da equipe MF visitaram no dia 24 de setembro as oficinas ferroviárias de RENFE em Valladolid. No dia seguinte, 25/setembro, foi visitado o povoado ferroviário de Monfragüe. O objetivo das visitas era conhecer os ditos bens ferroviários, seus processos de tombamento e os conflitos urbanos e sociais gerados pela conservação dos mesmos.

_dsc8146

Continuar lendo

Anúncios

Novas publicações MF

ARTIGOS EM PERIÓDICOS

CUÉLLAR, Domingo; OLIVEIRA, Eduardo Romero de; CORRÊA, Lucas Mariani (2016): “Una aproximación a la historia del ferrocarril en Brasil (1850-1950): Legislación, empresas y capitales británicos“, Documentos de Trabajo (DT-AEHE), 1602, Asociación Española de Historia Económica.

CANO SANCHIZ, Juan Manuel (2015): “Patrimonio ferroviario y arqueología industrial en el estado de São Paulo (Brasil): el Projeto Memória Ferroviária”, Anales de Arqueología Cordobesa, 25-26, p. 279-307.

BOTARO, Luis Gustavo M. (2014): “Cidade de Botucatu: símbolos e experiência da modernidade entre os anos de 1928-1934”, Revista Semina, Revista de Pós-Graduandos em História da UPF, 13:1, p. 227-251.

SILVA, Rafaela Rogato Rondon; OLIVEIRA, Eduardo Romero de (2010): “Estação Mairinque: estudo do uso turístico de um patrimônio industrial ferroviário”, Arqueologia Industrial (4ª serie) VI:1-2, p. 61-77.

 

CAPÍTULOS DE LIVRO

OLIVEIRA, Eduardo Romero de; BOTARO, Luis Gustavo M. (2016): “Transformações urbanas e a nova estação da Sorocabana em Botucatu”. In: AA.VV.: Arquitetura, urbanismo e paisagismo: contexto contemporâneo e desafios em áreas centrais, vol. 3. São Paulo: Cultura Acadêmica Editora, p. 119-146

OLIVEIRA, Eduardo Romero de (2015): “Arqueologia Industrial, Patrimônio Industrial e sua difusão cultural”. In: FUNARI, P.P.A.; CAMPOS, J.B.; RODRIGUES, M.H.S.G. (Orgs.): Arqueologia Pública e Patrimônio: questões atuais. Criciúma: UNESP, p. 197-225.

BOTARO, Luís Gustavo M. (2014): “Ferrovia e Industrialização – representações de modernidade em Botucatu (1929-1939): notas iniciais de pesquisa”. In: SILVA, Z.L. (Org.): A Escrita historiográfica e suas fontes. Assis: UNESP, p. 116-137.

 

TRABALHOS PUBLICADOS EM ANAIS DE CONGRESSOS

CANO SANCHIZ, Juan Manuel (2016): “Cultura material, globalización y arqueología de la industrialización”, Revista de Arqueologia Pública, 9:4(12), Atas da II Semana de Arqueologia da UNICAMP, Campinas, p. 99-115.

BORGES, Letícia Dos Santos; OLIVEIRA, Eduardo Romero de (2015): “Estação Barracão (Ribeirão Preto, SP): análise de preservação e usos do patrimônio industrial tombado”,  Revista de Arqueologia Pública, 9:3(12), Atas da II Semana de Arqueologia da UNICAMP, Campinas, p. 50-62.

CANO SANCHIZ, Juan Manuel (2015): “El Complejo FEPASA en Jundiaí (São Paulo, Brasil): de la Arqueología a la rentabilización social”. In:  CARLAN, C.U.; CARVALHO, L.M. (Coords.): Anais da VII Semana Nacional de Museus na UNIFAL-MG, Alfenas, p. VIII-XIX.

MORAES, Ewerton Henrique de; OLIVEIRA, Eduardo Romero de (2014): “Expresso turístico Luz-Paranapiacaba: da primeira estrada de ferro paulista aos usos turísticos dos remanescentes ferroviários (São Paulo/Brasil)”. In: Actas del Congreso Latinoamericano REHABEND 2014, Santander, p. 2.164-2.173.

 

MONOGRAFIAS, DISSERTAÇÕES, TESES

MORAES, Ewerton Henrique de (2016): Os bens ferroviários nos tombamentos do Estado de São Paulo (1969 – 1984). Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação, Universidade Estadual Paulista, Bauru, 191 p.

BOTARO, Luis Gustavo M. Botucatu: modernização e infraestruturação do interior paulista (1928-1934). Dissertação (Mestrado em História) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Assis, 196 p.

 

RESENHAS

BOTARO, Luís Gustavo M. (2012): “CAMARGO, Daisy de. Alegrias engarrafadas: os álcoois e a embriaguez na cidade de São Paulo no final do século XIX e começo do século XX. São Paulo: Editora Unesp, 2012. 220 p (resenha)”, Revista Faces da História, 1:2 , p. 223-228